Secretaria divulga a programação do Carnaval de rua

A Secretaria de Cultura e Turismo divulgou a programação dos blocos de rua do Carnaval de Campinas de 2024. O pré-carnaval começa neste sábado, 27 de janeiro, das 10h às 19h, com o Bloco Vô Jajá, que levará um trio elétrico da região do Parque Prado até o bairro Nova Europa, na avenida Baden Powell.

No domingo, 28 de janeiro, a festa fica por conta do Bloco Donatella, das 11h às 20h, na rua Egas Moniz, 45, Taquaral; e da Escola de Samba Estrela D’Alva, a mais antiga de Campinas, que será das 12h às 22h na rua dos Camaiurás, na Vila Costa e Silva.

A programação de pré-carnaval continua no fim de semana dos dias 3 e 4 de fevereiro e ganha força na sexta-feira de Carnaval, 9 de fevereiro, e continua repleta de desfiles pelas ruas ou com os blocos fixos até a noite de terça-feira, 13 de fevereiro, quando a festa se encerra. Serão 55 blocos pelas ruas da cidade. Para conferir a programação completa com a agenda dos blocos.

“O Carnaval deste ano mostra que houve uma consolidação no número de blocos, o que permite que a Prefeitura garanta mais qualidade na folia e na brincadeira para todo mundo. Ao mesmo tempo, algumas iniciativas vão se descentralizando dos locais que estavam; temos algumas iniciativas novas em locais diferentes, mais periféricos; o que é importante porque o Carnaval tem que atingir todas as camadas da sociedade e estar próximo das pessoas e suas comunidades. Por isso é muito positivo o fato de ter este aumento de blocos em algumas comunidades, porque existe esta autenticidade de um Carnaval de comunidade”, diz a secretária de Cultura e Turismo, Alexandra Caprioli.

 

 

De acordo com a secretária, todo o planejamento garantiu uma integração dos órgãos de segurança – Guarda Municipal, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Samu – e os blocos. “Você ter o folião se divertindo junto com a estrutura desses órgãos de segurança é uma prioridade para a gente”, disse Alexandra.

“Entre as novidades de 2024, a gente tem o bloco do mamaço – que é das mães e seus bebês e fala da conscientização do aleitamento materno –; terá um bloco novo de uma comunidade católica da Vila Georgina com marchinhas e chorinhos. No mesmo bairro terá o bloco Afoxé Ilê Ogum, que traz para o samba e para a brincadeira as religiões afrobrasileiras. Há também bloquinhos pequenos como Donatela”, disse o diretor de Cultura, Gabriel Rapassi.

O Carnaval deste ano também terá a repetição de alguns blocos muito antigos e de escolas de samba. “As escolas de samba estão representadas por blocos dentro das suas comunidades. As quatro escolas que estão ativas são Rosa de Prata, que fica na Vila Bela; Shangai, na região do Ouro Verde; Leões da Padre Anchieta e a Estrela D’álva, que é a mais antiga de Campinas, da região do bairro Vila Costa e Silva”, disse Rapassi. O tradicional Bloco do Bob leva para as ruas tutores e seus pets, muitos deles fantasiados.

De acordo com Alexandra Caprioli, a consolidação do Carnaval de Campinas transforma uma pulverização de blocos que tem o perfil adequado para cada pessoa. “Então, tem blocos que são mais de jovens, blocos que são mais das pessoas acima dos 50, tem os mais tradicionais, tem os das marchinhas. O importante é que quem decida brincar encontre o bloco com a sua cara”, afirma a secretária de Cultura.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima