Em Mônaco, Mercedes apresenta o superesportivo AMG PureSpeed

Para marcar o Grande Prêmio de Mônaco de Fórmula 1 no próximo final de semana, a Mercedes Benz apresentou um superesportivo conceito: o Mercedes-AMG PureSpeed. O modelo mostra uma futura tendência dos esportivos da marca e  pode entrar em produção em curto prazo.

O design radical do PureSpeed de dois lugares, sem teto ou para-brisa, é uma homenagem ao automobilismo de competição. O modelo também é uma prévia da futura série limitada “Mercedes-Benz Mythos”.

A estreia mundial contou com os pilotos da equipe Mercedes-AMG F1, Lewis Hamilton e George Russell.

O Conceito Mercedes-AMG PureSpeed celebra a tradição da Mercedes-Benz com um design de carro de corrida puro, materiais inovadores e tecnologia de ponta. A série limitada de 250 unidades estará disponível apenas para os maiores colecionadores da Mercedes-Benz. Inspirado em veículos lendários, a combinação de estética de competição inigualável e desempenho altamente dinâmico faz do Conceito Mercedes-AMG PureSpeed uma máquina de condução única para conhecedores.


Sistema HALO

Um destaque é o sistema HALO, que substitui a coluna A convencional. Este elemento é uma derivação direta da principal categoria do automobilismo desde 2018. Ele protege a cabeça do piloto em caso de acidente.

Assim como na F1, o sistema de segurança no Conceito Mercedes-AMG PureSpeed consiste em um suporte que está conectado à carroceria do veículo e este componente, aerodinamicamente otimizado, tem como função proteger os ocupantes. Estão incluídos dois capacetes especialmente projetados e fabricados para o modelo. O interior traz um conceito único de cores e equipamentos, assim como o relógio cronógrafo no console central.

Design inspirado AMG ONE

O conceito Mercedes-AMG PureSpeed é uma automóvel de alta performance com uma silhueta extremamente baixa. Muitos recursos de design foram inspirados no hipercarro Mercedes-AMG ONE – partes visíveis de fibra de carbono na seção inferior fornecem um forte contraste com as formas marcantes e arredondadas da parte superior do veículo.

O design das rodas é caracterizado pelo revestimento exclusivo de fibra de carbono nas coberturas das rodas dianteiras e traseiras. As coberturas das rodas traseiras são completamente fechadas para melhorar a aerodinâmica. Já as coberturas das rodas dianteiras são abertas para otimizar o fluxo de ar na parte frontal para resfriamento dos freios e gerar mais downforce.O capô longo e a parte frontal muito baixa com um “nariz de tubarão” são típicos de um modelo super esportivo. O design frontal é semelhante ao do Mercedes-AMG ONE com uma ampla entrada de ar inferior com a inscrição AMG e uma estrela da Mercedes escurecida e cromada.

Adicionado a isso está o capô esportivo e aerodinamicamente otimizado com uma saída de ar adicional. Pequenos defletores transparentes na frente e nas laterais direcionam o vento sobre o cockpit. O trabalho de precisão da equipe de design também pode ser visto no painel lateral com flaps aerodinâmicos.

Modelos lendários

Muitos outros detalhes de design também prestam homenagem ao automobilismo de competição. Os dois suportes traseiros atrás dos assentos lembram carros de corrida lendários como o 300 SLR, no qual Sir Stirling Moss e Denis Jenkinson venceram a Mille Miglia de 1955 na Itália – com uma velocidade média recorde de incríveis 157 km/h em estradas públicas.

A pintura vibrante– em um gradiente de cor do vermelho Le Mans ao cinza grafite com um padrão preto AMG – é uma referência ao esquema de cores do modelo vitorioso da marca na corrida Targa Florio de 1924 na Sicília. Ele foi pintado de vermelho, cor tipicamente dos veículos italianos. Carros de corrida alemães eram tradicionalmente pintados de branco na época. A pintura vermelha tinha o objetivo de impedir que os fãs locais atrapalhassem o progresso do carro na corrida.

24C0225_004

A estratégia funcionou e após 6:32:37.4 horas e uma distância de corrida de 432 quilômetros, o vitorioso Mercedes-Benz de 2 litros com o número 10 cruzou a linha de chegada em primeiro lugar com Christian Werner ao volante. O número 10 também pode ser encontrado nas asas dianteiras e se refere à vitória na Targa Florio há 100 anos atrás.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima