motor

Honda lança mais uma motocicleta no segmento on-off road

Secretamente, a Honda apresentou a XR 300L Tornado. Com um chassi derivado da CRF 250F, a nova motocicleta da marca japonesa chega com o mesmo motor que equipa a Sahara 300, um monocilíndrico arrefecido a ar, de 293,5 cm3 e potências máximas de 24,8 cavalos (etanol) e 24,3 cv (gasolina). O torque máximo é de 2,74 kgf.m.

O câmbio é de seis marchas e a relação tem um conjunto coroa/pinhão 14/39 dentes. Os freios são a disco com ABS.

Honda lança mais uma motocicleta no segmento on-off road Read More »

Sedã esportivo BMW M5 já está disponível no mercado nacional

Entre os amantes de automóveis esportivos, o BMW M5 é um dos mais desejados. A sétima geração do modelo já está á venda no Brasil. Com um visual mais agressivo e acabamento sofisticado, o sedã esportivo vem equipado com um sistema de propulsão M Hybrid. O novo M5 continua com um motor V8 turbo de 585 cavalos e 750 Nm de torque e é auxiliado por um motor elétrico de 197 cavalos e 280 Nm de torque. Na soma combinada, geram 727 cavalos de potência e torque de nada menos que 1.000 Nm.

Equipado com sistema de tração integral M xDrive, que permite transferir até 100% da força para o eixo traseiro, o esportivo acelera de 0 a 100 km/h em apenas 3,5 segundos e tem velocidade máxima de 305 km/h.

Híbrido do tipo plug-in, o novo BMW M5 pode rodar apenas em modo elétrico a velocidades até 140 km/h, com autonomia que varia entre 67 e 69 quilômetros, de acordo com o ciclo WLTP.

Sedã esportivo BMW M5 já está disponível no mercado nacional Read More »

RAM lança edição especial de 100 unidades da Classic R/T

Com mais de 100 anos, a tradicional marca Dodge foi fundada pelos irmãos John e Horace Dodge. A empresa começou produzindo peças automotivas para as montadoras da região de Detroit, Michigan, nos Estados Unidos. Reconhecidos pela qualidade de seus produtos, os irmãos se aventuraram na produção de veículos. O primeiro foi o Model 30, em 1914. Já a produção de veículos comerciais começou em 1917, com o surgimento da picape Dodge Série 1.

Em 1928, a Dodge foi vendida para o grupo Chrysler e passou a ser uma divisão da companhia e, em 1932, era lançada a picape Dodge de meia tonelada, apresentando pela primeira vez o icônico símbolo do carneiro montanhês – Ram, em inglês – decorando o capô. Até a década seguinte a marca continuou a oferecer qualidade e veículos cada vez mais capazes, sendo, inclusive, a fornecedora de mais de 20 mil picapes exclusivas para o exército americano durante a Segunda Guerra Mundial. No pós-guerra, nasceu a Power Wagon, a primeira picape média com tração 4X4 para uso civil, que derivava do modelo criado para o combate. Hoje, a tração 4X4 é um atributo quase indispensável nas caminhonetes e está presente em toda a gama de picapes Ram.

Na década de 1950, houve a primeira aparição do nome Ram e o primeiro motor V8 em uma picape Dodge, a “Red Ram”. Interessante mencionar que desde essa época o V8 da Dodge já era um HEMI, nome dado a unidade de força cujas câmaras de combustão são hemisféricas. Em 1961, a nova linha de picapes Dodge trouxe a proposta de cabine dupla com quatro portas e um design semelhante ao Dodge Dart da época.

Agora, falando de outro hemisfério, mais especificamente no Brasil, nascia em 1969 a picape mais potente produzida no país, a Dodge D 100. Fabricada pela Chrysler no ABC Paulista, utilizava o mesmo motor do Dodge Dart, um V8 5.2 L de 198 cavalos. A D 100 foi produzida no país até 1975 e ainda há alguns exemplares rodando por aí – ou embelezando as garagens de alguns colecionadores.

De volta ao continente norte-americano, em 1993, foi apresentada a segunda geração da picape Ram 1500, que transformou o segmento full-size nos Estados Unidos e elevou as vendas da marca a níveis inéditos até então. Tamanho sucesso rendeu a esta geração o prêmio “Truck of the Year” da Motor Trend, no mesmo ano. E o design dessa geração da Ram 1500 foi apelidado de “big rig”, em referência às enormes carretas que cruzam as estradas norte- americanas, e cuja grade dianteira em cruz ganhou ainda mais destaque, elevando-se acima dos faróis.

De volta ao Brasil, em 1998, a então Chrysler inaugurava uma planta industrial na cidade de Campo Largo, Paraná, de onde saía a picape Dodge Dakota nas configurações básica, com um motor 2,5, e Sport, movida por um 3,9 L V6, ambos a gasolina. Mas nos anos 2000 era a lançada a versão mais apimentada do modelo, a R/T. Equipada com o motor V8 Magnum 5,2 L com 232 cavalos, era não só a picape mais potente, como o automóvel mais potente produzido no país à época.

Ainda sobre a história dessa marca centenária, em 2009 a Ram deixou de ser a linha de picapes da Dodge e passou a ser uma marca independente. O objetivo da separação era a Ram se especializar no desenvolvimento e produção de veículos comerciais, principalmente picapes, enquanto a Dodge manter seu foco nos muscle cars e esportivos.

Poucos elementos do universo automotivo são tão venerados quanto um motor V8. Motivos não faltam: o ronco encorpado e borbulhante que saem pelas bocas do escapamento, a potência caudalosa despejada nas rodas que tentam em vão não derrapar e toda cultura muscle car ao redor desse tipo de propulsor, formado por duas bancadas de quatro cilindros na diagonal.

Série comemorativa

Para celebrar o legado do icônico V8 HEMI, a Ram brasileira anuncia 100 unidades de uma série mais que especial. A Ram Classic ganha a versão R/T – de “Road/Track” –, sigla que distingue a gama de carros de alto desempenho usada pela Dodge desde os anos 60.

A Ram Classic R/T tem faróis e lanternas com máscara negra. Na dianteira, a exclusiva grade com formato em cruz, característica das picapes Dodge desde o lançamento da segunda geração da Ram 1500 e elemento marcante do design “big rig”, e que traz o carneiro montanhês ao centro, no lugar do nome da marca.

Por trás, colmeias aspiram muito ar para alimentar o enorme motor e um logo R/T no canto inferior adiciona charme a frente imponente da muscle truck. Adesivos foscos que remetem aos Dodges Chargers R/T fabricados pela Chrysler no Brasil nas laterais da caçamba e no capô completam o look da picape de DNA norte americano. Uma soleira em aço inoxidável evoca ainda mais o luxo e esportividade no interior da picape.

Para sublinhar o caráter colecionável da Ram Classic R/T, serão comercializadas apenas 100 unidades – 50 na cor preta e 50 em vermelho – que recebem um logo no painel com a estampa do número 1/100, referente ao número limitado das quantidades comercializadas.

Além disso, os compradores dessas unidades ainda serão presenteados com um kit super exclusivo. O kit contém uma caixa metálica de ferramentas e uma pasta de couro com certificado de aquisição com o número do chassi da unidade e uma carta escrita por Juliano Machado, vice-presidente da marca Ram para a América do Sul, parabenizando pela compra.

RAM lança edição especial de 100 unidades da Classic R/T Read More »

R20 é a nova motocicleta conceito da BMW

A BMW Motorrad revelou a sua nova motocicleta conceito: a BMW R20. A motocicleta remete ao modelo R20 de 1937 e tem como destaque principal, o motor “big boxer” de dois litros refrigerado a ar e óleo.

O conceito BMW R20 é uma motocicleta que impressiona pela aparência poderosa e design clássico. Centrado em torno do motor “big boxer”, a R20 tem tanque grande e a traseira é reduzida ao essencial, para enfatizar as linhas limpas e dar imponência á motocicleta.

O chassi foi completamente redesenhado e, com uma estrutura principal de loop duplo preto feita de tubos de aço cromo-molibdênio, forma a espinha dorsal. Com a roda a disco preta de 17×6,25 polegadas na traseira, na qual está montado um pneu de dimensão 200/55, e uma roda de 17″ com raios pretos e pneu de dimensão 120/70 na dianteira, o conceito BMW R20 combina tradição e modernidade.

Os dois suportes do eixo traseiro em alumínio fresado são outro detalhe de alta qualidade. O eixo de transmissão exposto, adotado conceitualmente do R18 – o destaque visual dos conhecidos modelos R 18 – foi encurtado para integração na arquitetura do roadster. Como elementos de suspensão, os componentes Öhlins Blackline totalmente ajustáveis funcionam na dianteira e na traseira.

As pinças de freio com seis pistões na dianteira e quatro pistões por pinça de freio na traseira se encarregam de parar o modelo conceito. Além disso, o sistema de escapamento 2 em 2 proporciona o um forte ronco. A R20 conceito poderá entrar em produção em breve.

R20 é a nova motocicleta conceito da BMW Read More »

Na geração Volkswagen T-Cross ganha beleza e sofisticação interna

A Volkswagen do Brasil apresentou na última quarta-feira (15), a nova geração do líder de vendas no segmento: o T-Cross. O modelo, que agrada pelo design, desempenho e espaço interno, ganhou mudanças na frente, na traseira e sofisticação no interior.  Lançado em 2019, o T-Cross é um produto global, mas tem em cada mercado a sua própria identidade. O modelo chega ás concessionarias na primeira quinzena de junho.

Elegante

A nova geração não teve alterações na lataria. Porém, as alterações na frente e atrás deixaram o SUV bem mais atual e sofisticado. Na frente, o modelo ganhou uma nova grade, para-choques e faróis. Os faróis são de full LED, com DRL (que é obrigatório por lei), piscas, função farol baixo e farol alto, todas com a tecnologia de LED.

O novo para-choque perde aqueles adereços cromados e ganha mais sofisticação com o novo design. As entradas de ar também mudaram e o conjunto é bem mais harmonioso. A nova frente ficou muito mais bonita.

Na parte traseira, as lanternas também são 100% em LED, que são ligadas uma á outra por uma faixa de iluminação vermelha. A luz de neblina está do lado esquerdo e a iluminação de marcha a ré em ambos os lados. O novo para-choque tem visual mais robusto e dá a sensação que o modelo está mais alto.

Na lateral, como não houve mudanças no design, por isso o destaque são as bonitas rodas. Como um todo, no conjunto, as alterações efetuadas no novo T-Cross deixou o modelo bem mais elegante e sofisticado. O porta-malas tem capacidade de 373 litros.

Por dentro

O interior teve mudanças bem mais acentuadas e agradáveis, com os novos acabamentos. Os painéis ganharam mais detalhes, com revestimentos “softtouch” e costura pespontada.

O formato do painel conta agora com a aplicação de tecido na ilha central da porta, região conectada à porção inferior do painel.
Os detalhes pespontados sobre este tecido valorizam o interior. Além disso, o apoia braço também é revestido em vinil.

Os bancos foram reformulados e passam a ter figurinos inéditos, sempre com a inscrição “T-Cross” na parte superior. Ainda no painel, o VW Play, sistema multimídia com tela de 10,1″, está com uma “moldura” que o deixa mais elegante. O sistema conta com o APPConnect (Apple Carplay e Android Auto) e conexão com a internet via Smartphone.

Motor

O SUV de entrada da linha Volkswagen não teve alterações nas motorizações. O T-Cross conta com dois motores; 200 TSI, na versão 200 e Comfortline e o 250 TSI na Highline. Como nos não foi permitida a avaliação, segundo a marca, o SUV acelera de 0 a 100 km/h em 8,6 segundos (na configuração 250 TSI) e em 10,0 segundos (nas 200 e Comfortline). A velocidade máxima é de 189 quilômetros por hora no modelo 200 e 204 quilômetros por hora no 250.

Segurança

Em termos de segurança, o sistema de frenagem autônomo de emergência com reconhecimento de pedestre estreia em todas as versões, assim como o sensor de fadiga e o alerta sonoro e visual para o uso do cinto de segurança dianteiro e traseiro.

A versão topo de linha Highline oferece como opcional pacote “ADAS”, que inclui assistente de estacionamento (Park Assist), detector de ponto cego com assistente traseiro de saída de vaga e assistente ativo de mudança de faixa (Lane Assist). 200, Comfortline e Highline são equipadas com controle adaptativo de velocidade e distância, frenagem autônoma de emergência com detector de pedestre, seis airbags (sendo dois frontais, dois laterais nos bancos dianteiros e dois de cortina).

Ainda fazem parte da lista de equipamentos fixação de assento de criança com sistema ISOFIX®, freios ABS com distribuição eletrônica de frenagem, controle eletrônico de estabilidade, controle de tração e bloqueio eletrônico do diferencial, assistente para partida em subidas, função frenagem de manobra entre outros.

Nova cor

O novo T-Cross estreia a cor cinza Ascot e o pacote Dark estão disponíveis  para a versão Highline. Ele inclui teto e retrovisores pintados na cor preto ninja, rack de teto longitudinal na cor preta, rodas de liga 17” escurecidas, logotipos escurecidos na lateral e traseira e pneus Seal Inside. O pneu conta com uma tecnologia que permite o motorista continuar rodando mesmo com ele mesmo furado, sem que aconteça perda de pressão.

Para o modelo a Volkswagen oferece as três primeiras revisões de série sem custo para todas as versões, incluindo peças e mão-de-obra.

Preços
200 TSi – R$ 142.990,00
Comfortline 200 TSi – R$ 160.990,00
250 TSI Highline  – R$ 175.990,00

Na geração Volkswagen T-Cross ganha beleza e sofisticação interna Read More »

Produção de veículos automotores cresce em relação a fevereiro

No mês de março, o licenciamento e a produção de veículos no Brasil apresentaram crescimento em relação a fevereiro, informou hoje (8) a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). No entanto, ambos manifestaram queda na comparação anual.

Em relação ao licenciamento, o crescimento foi 13,6% ante fevereiro, com 187.731 unidades comercializadas. O licenciamento inclui tanto veículos leves quanto caminhões e ônibus.

Por outro lado, houve queda de 5,7% em comparação a março do ano passado o que, para o presidente da Anfavea, pode ser explicado pelo fato de março deste ano ter tido três dias úteis a menos que março de 2023. “A média diária de vendas [em março] foi de 9,4 mil unidades”, disse Márcio de Lima Leite, presidente da Anfavea.

Já a produção cresceu 3,2% em comparação a fevereiro deste ano, com 195.751 unidades montadas. “A produção foi a melhor desde novembro e vai se ajustando à crescente demanda do mercado. Em março, ela se aproximou do patamar de 200 mil unidades”, disse Leite. Mas em relação ao mesmo mês do ano passado foi registrada queda na produção de 11,8%.

,

“Um detalhe, que não consta ainda desses números: a primeira semana de abril foi a melhor primeira semana do mês de abril desde 2014. Isso é uma tendência de que o mercado vem com crescimento”, acrescentou.

As exportações também apresentaram comportamento positivo na comparação mensal, com aumento de 6,5% no período. “Março teve o melhor resultado em sete meses”, disse o presidente da Anfavea. Na comparação anual, no entanto, houve queda de 28%, com 32.706 unidades embarcadas. “Isso se deve, em especial, à queda nos mercados de destino como Argentina, Chile, Colômbia, Equador e Uruguai e, ao mercado do México, que especialmente em março, por uma questão de sazonalidade, teve uma queda. E isso impactou nas nossas exportações”, acrescentou.

Os empregos no setor, por sua vez, mantiveram uma certa estabilidade, com leve crescimento em relação a fevereiro e uma pequena queda na comparação com março do ano passado. Em março 101.404 pessoas estavam empregadas no setor, o que significou aumento de 0,7% ante fevereiro e queda de 0,2% em relação a março de 2023.(Agência Brasil)

Produção de veículos automotores cresce em relação a fevereiro Read More »

Coluna Fernando Calmon — VW eleva investimentos e aposta mais em híbridos que elétricos

Coluna Fernando Calmon nº 1.287 — 6/2/2024

 

VW eleva investimentos e aposta mais em híbridos que elétricos

A fabricante alemã antecipou seus planos para o País e elevou o total investido que antes era de R$ 7 bilhões até 2026 para R$ 16 bilhões até 2028. Esse montante inclui 16 lançamentos e quatro modelos inéditos no mercado brasileiro. A VW não revelou quais são os produtos inteiramente novos, além das evoluções periódicas dos produtos atuais.

O presidente da empresa, Ciro Possobom, marcou o posicionamento mercadológico em encontro com a imprensa. “A estratégia do Brasil não pode ser igual à chinesa, que deu prioridade ao carro elétrico. Acreditamos no motor flex e não está nos planos uma mudança radical, pois aumentaria demais os custos de produção. O flex é um ativo do país e um híbrido desse tipo faz mais sentido.”

Veículos elétricos (VE) não estão incluídos, nessa rodada de investimentos em manufatura, pois a previsão é apenas para 2030, embora a empresa vá importar pelo menos mais um VE até 2028. A VW contempla investimentos em todas as suas quatro fábricas, inclusive a de motores em São Carlos (SP), onde será produzido o novo TSI de 1,5 litro flex que atende aplicação híbrida.

O modelo para São José dos Pinhais (PR) deverá ser uma picape intermediária na mesma faixa da Rampage e da Toro. Talvez o nome Tarok seja o escolhido, mas de porte maior que o protótipo exibido no Salão do Automóvel de 2018. São Bernardo do Campo (SP) estará comprometida com a nova arquitetura híbrida flex MEB Hybrid e dois produtos inéditos.

Possobom adiantou que também haverá um modelo somente com motor a combustão em São Bernardo. Quem sabe uma Saveiro de cabine dupla e quatro portas, hoje apenas com duas portas? A concorrente direta Strada, líder absoluta, tem 60% de suas vendas concentradas nas de quatro portas. Um segundo novo produto será híbrido flex, talvez baseado no Virtus.

Para Taubaté (SP) tudo indica um inédito SUV compacto que será bem diferente do crossover Nivus. O executivo descartou a entrada da marca no segmento de subcompactos, onde concorrem apenas Kwid e Mobi.

Esta semana o banco estatal BNDES aprovou um financiamento de R$ 500 milhões para VW desenvolver produtos “alinhados à sustentabilidade, à eficiência e à transição energética para os próximos anos”. Valor meramente simbólico: apenas 3,1% do investimento total do fabricante.

Mercado começa o ano com vendas encorajadoras

Fenabrave viu a confirmação, pelo menos no primeiro mês do ano, que as vendas ao mercado interno de veículos leves e pesados em 2024 devem surpreender. Foram comercializadas 161.601 unidades que representaram 13,2% a mais que janeiro de 2023. Se considerados apenas os veículos leves o avanço foi de 16,8%.

A média de emplacamentos foi de 7.300 unidades/dia, o melhor resultado para janeiro dos últimos três anos.

Para o presidente da associação, Maurício Andretta Jr., há uma melhora na venda no varejo de automóveis e comerciais leves, respondendo por 60% do total. Ele atribui isso “ao custo e ao acesso ao crédito que melhoraram a partir do último trimestre de 2023. Aliados à expectativa de redução dos juros básicos (taxa Selic) ao longo de 2024, podem incrementar a disponibilidade e diminuir a restrição de crédito por parte dos agentes financeiros”.

Durante vários meses no ano passado o mercado corporativo dominou a participação entre veículos comercializados. Locadoras também tiveram um 2023 muito forte no último trimestre. Para 2024 a Fenabrave prevê, preliminarmente, que o mercado interno crescerá 12% e a Anfavea estima um avanço bem menor, de 6%.

Os números podem sofrer revisões à medida que a economia brasileira reagir. Em 2023 o avanço deveu-se à grande safra agrícola plantada em 2022. No entanto, este ano não se repetirá por razões climáticas. Economistas esperam números para o PIB bem mais discretos e isso se reflete nas vendas de veículos.

Mudanças em análise no STF da lei Renato Ferrari, que regula as vendas entre fabricantes e concessionárias, têm potencial de gerar atritos entre as duas partes. Marcas chinesas vêm usando o expediente da venda direta para pessoas físicas, que contorna a atual lei, o que se reflete em preço menor aos compradores em razão da menor incidência de imposto.

Honda ZR-V se insere bem em segmento disputado

SUV que tomou o lugar do sedã Civic no Brasil (agora só com o Type R), seguindo a onda mundial de suvização do mercado, o ZR-V enfrenta bem a forte concorrência. Vindo do México, portanto isento de imposto de importação, dispõe de motor 2-litros, apenas a gasolina, com 161 cv e 19,1 kgf·m. Câmbio é um CVT de sete marchas. O ZR-V mostra bom desempenho, mas a diferença de potência em relação, por exemplo, ao líder Corolla Cross (177 cv e 21,4 kgf·m com etanol) dá para sentir. Não chega a decepcionar, em especial no modo Sport, porém nesse aspecto um dos principais concorrentes o supera.

O estilo está entre os pontos altos. Discreto onde pode, mais arrojado onde deve. Destaques para desenho dos faróis de LED, vincos laterais e ponteira de escapamento cromada. No interior, o assoalho plano traseiro proporciona bom espaço para três passageiros e há duas portas USB-C, mas sem saídas para ar-condicionado. Porta-malas de 389 litros poderia ser um pouco maior. Traz tela multimídia de 9 pol. com espelhamento de Android Auto, Apple CarPlay e carregamento de telefone celular por indução.

Posição ao volante mais baixa, bancos com firmeza e boa sustentação lateral, além de freio de estacionamento de imobilização automática (auto hold) são pontos de honra para a Honda.

Preço: R$ 214.500. 

Sindipeças comemora 70 anos e atualiza sua história

Nada como um bom livro para testemunhar a grande evolução da indústria automobilística no Brasil. O Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças) foi e é um dos grandes impulsionadores de uma atividade que começou em 1957 timidamente com apenas 30.542 unidades fabricadas e atingiu o pico de 3.739.525 em 2013.

Um pioneiro, Ramiz Gattás, contou a história do setor de 1957 a 1980 sob o título “A Indústria Automobilística e a 2ª Revolução Industrial no Brasil”. Gattás atuou desde 1951, quando foi o secretário da então Associação Profissional da Indústria de Peças para Automóveis e Similares.

O atual Sindipeças, ao completar 70 anos, lançou uma continuação impressa no final de 2023. O jornalista Marcos Rozen foi responsável pela atualização histórica: “A Revolução na Indústria de Veículos e de Autopeças no Brasil”. Interessados podem ter acesso a uma versão digital no hotsite https://sindipecas70anos.com.br .

Coluna Fernando Calmon — VW eleva investimentos e aposta mais em híbridos que elétricos Read More »

Simulação de atropelamento alerta para prevenção a acidentes no trânsito

Ação educativa na Avenida John Boyd Dunlop envolveu 30 profissionais, como parte da campanha Maio Amarelo

Crédito da foto: Eduardo Lopes / PMC

Excesso de velocidade, imprudência do pedestre e direção após o consumo de álcool. A combinação desses elementos foi o pano de fundo para a simulação de um acidente com 15 vítimas, sendo uma delas fatal, realizada na tarde desta terça-feira, dia 30 de maio, em Campinas. Para conscientizar os observadores, a cena teve elementos de dramatização – sangue fictício, gritos de socorro, sirenes e resgate aéreo.

A cena chamou a atenção de quem passou pela Avenida John Boyd Dunlop, próximo ao Shopping Parque das Bandeiras. A ação simulou o atropelamento de pedestre por motociclista em alta velocidade, envolvendo outros dois veículos, sendo que um dos condutores estava alcoolizado. Os pedestres atravessam fora da faixa de travessia.

O simulado de atendimento a vítimas de acidente de trânsito foi organizado pela Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) e pela Secretaria de Saúde, por meio do Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa), no contexto do Movimento Maio Amarelo.

“Nosso objetivo foi chamar a atenção da sociedade para os altos índices de mortos e feridos no trânsito. A simulação demonstra que a imprudência no trânsito, o desrespeito às normas e à sinalização podem custar vidas”, destacou o presidente da Emdec, Vinicius Riverete.

Cerca de 30 profissionais simularam o atendimento, que incluiu os primeiros socorros, a estabilização das vítimas e o encaminhamento para as unidades hospitalares. Foram 10 viaturas envolvidas, do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de Campinas e de Sumaré; do Corpo de Bombeiros; do Grau Técnico Campinas: Administração, Enfermagem e Radiologia; e das concessionárias CCR Autoban e AB Colinas. O resgate também contou com um helicóptero Águia da Polícia Militar. Agentes da Emdec realizaram a operacionalização do trânsito.

A representante do Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa), da Secretaria Municipal de Saúde Ana Paula Crivelaro Ferreira destacou o sucesso da ação. “Cumprimos o objetivo de demonstrar toda a mobilização das equipes de atendimento e esforços necessários para o atendimento de um sinistro. O intuito maior é alcançar a mudança de comportamento e salvar vidas no trânsito.”

As vítimas e as pessoas envolvidas no acionamento do resgate foram representadas por estudantes das Ligas do Trauma da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC). Mais de cem estudantes das duas universidades também assistiram à simulação.

Luiza Otero Almeida, que cursa enfermagem na Unicamp foi uma delas. “Achei bem impactante e uma forma de conscientizar a população, não só sobre a nossa responsabilidade no trânsito, mas também para demonstrar a importância de capacitar os profissionais envolvidos para agir nessas situações”, disse.

O capitão comandante do 1º Subgrupamento de Bombeiros de Campinas, Luiz Fernando Marucci Baccin, ressaltou que “nesse tipo de ação, buscamos chamar a atenção sobre as consequências dos sinistros de trânsito e demonstrar o trabalho integrado das equipes de atendimento”.

Para viabilizar a ação, houve bloqueio total da pista expressa da Avenida JBD, no sentido Centro-Bairro, ao longo da extensão do Shopping das Bandeiras. A via foi liberada por volta de 16h. O simulado também envolveu as secretarias municipais de Transportes (Setransp) e de Cooperação nos Assuntos de Segurança Pública; a Guarda Municipal; e a Rede Mário Gatti de Urgência, Emergência e Hospitalar.

Fatores de risco  

Em 2022, os motociclistas representaram 47% (71) dos 151 óbitos no trânsito registrados em vias urbanas e rodovias. Os pedestres representaram 31,8% (48) dos óbitos, um pedestre morto a cada sete dias – um aumento de 17% em relação ao ano anterior.

Os fatores de risco excesso de velocidade e direção após o consumo de bebida alcoólica estiveram presentes em 60% dos óbitos registrados no trânsito de Campinas em 2022.

Simulação de atropelamento alerta para prevenção a acidentes no trânsito Read More »

Um dos sedãs mais admirados do mundo, a BMW Série 5, ganha nova geração

Um dos modelos mais expressivos da BMW ganha uma nova geração, conforme já foi divulgado no De Fato Campinas.com.br.Mais dinâmico do que nunca, apresentando muitas inovações digitais, o novo Série 5 ganha prela primeira vez duas versões 100% elétrica.

O BMW i5 vem com um avançado sistema de exibição e controle BMW iDrive com novos serviços digitais.

O novo Série 5 chegará aos concessionários a partir de outubro de 2023 na Europa e no Brasil no inicio de 2024.

A nova geração do modelo será oferecida em todo o mundo com motorização totalmente elétrica e, dependendo da região do mercado, também com sistemas híbridos plug-in, bem como com motores a gasolina e diesel altamente eficientes, incluindo tecnologia híbrida leve.

Elegância 

Uma linguagem de design clara, enfatiza a elegância e a presença esportiva do novo Série 5.

Em comparação com o modelo anterior, a nova geração cresceu 97 milímetros, chegando aos 5,06m no comprimento, 32 milímetros na largura, chegando aos 1,90m, e 36 milímetros na altura, batendo a marca de para 1,51m. Sua distância entre eixos foi alongada em 20 milímetros e agora é de 2,99m.

A vista frontal do novo BMW Série 5 é caracterizada por uma interpretação moderna dos faróis duplos e da grade BMW em forma de rim.

Elementos de LED dispostos quase verticalmente servem como indicadores de direção e luzes diurnas. A grade em forma de rim da BMW, que se projeta para a frente, possui um contorno amplo e, como opcional, a iluminação de contorno BMW Iconic Glow.

Na vista lateral, a linha de ombro alta, superfícies de design poderoso e duas linhas de caráter precisamente traçadas moldam a carroceria atlética do veículo.

As saias laterais pretas, maçanetas de portas embutidas e um número 5 em relevo na base da coluna curva chamam ainda mais a atenção. As proporções dinamicamente esticadas fluem para uma traseira poderosa.

Luzes traseiras planas divididas por uma faixa cromada interpretam expressivamente o característico formato em L.

Inovador

O novo BMW Série 5 oferece um espaço muito bom, funcionalidade moderna, muito conforto acústico, bem como materiais de alta qualidade e processamento preciso, acabamento fino e serviços digitais avançados caracterizam o ambiente em seu interior.

O cockpit do novo BMW Série 5 tem um número significativamente reduzido de botões e controles em comparação com o modelo anterior. Isso é obtido através da consistente digitalização de funções.

O sistema de exibição totalmente digital consiste em uma tela de informações de 12,3 polegadas e uma tela de controle de 14,9 polegadas.

O volante também foi redesenhado com uma seção inferior achatada e feedback tátil nos painéis de controle e na alavanca seletora no console central.

Vegano

O novo BMW Série 5 é o primeiro modelo da marca a apresentar um interior totalmente vegano de série. Isso inclui as superfícies dos assentos, painel e painéis das portas, bem como o volante, na versão Veganza, com propriedades semelhantes a couro também estão disponíveis opcionalmente com uma perfuração decorativa.

Supremo

O BMW i5 totalmente elétrico está equipado com a tecnologia BMW eDrive de quinta geração amplamente aprimorada e está sendo lançado em duas variantes. O BMW i5 M60 xDrive, que tem desempenho característico M e aspectos de design específicos e é equipado com dois motores, nos eixos dianteiro e traseiro compõem uma tração elétrica nas quatro rodas.

O torque do sistema gerado é de até 820Nm quando a função M Sport Boost ou M Launch Control é ativada. Isso permite que o BMW i5 M60 acelere de zero a 100 km/h em 3,8 segundos, com velocidade máxima limitada a 230km/h.

O BMW i5 com tração nas rodas traseiras e gera uma potência máxima de 340 cavalos e um torque máximo de até 430Nm com função Sport Boost ou Launch Control. O BMW i5 eDrive40 acelera de zero a 100km/h em 6,0 segundos e alcança a velocidade máxima é de 193km/h.

Um dos sedãs mais admirados do mundo, a BMW Série 5, ganha nova geração Read More »

Rolar para cima